Por que não ter uma empresa robusta

Podcast: Por que não ter uma empresa robusta, por Rafael Tiburi Bettiol.

O famoso Nassim Nicholas Taleb, que fez a previsão do colapso financeiro em 2008, nos apresenta conceitos sobre ser antifrágil.

Algumas coisas se beneficiam dos impactos, elas prosperam e crescem quando são expostas à volatilidade, ao acaso, à desordem e aos agentes estressores, e apreciam a aventura, o risco e a incerteza.

A antifragilidade não se resume à resiliência ou à robustez. O resiliente resiste a impactos e permanece o mesmo, o antifrágil fica melhor.

Trabalhar este cenário de tomada de decisão em um ambiente de instabilidade e incerteza (antes dele se materializar) torna a organização antifrágil, reduzindo a ilusão da robustez.

A resposta para melhorar o desempenho da organização frente a adversidade não é resistir. É adaptar.

Não é sobre eliminar riscos, prevenir crises ou predição. É  sobre a construção de uma competência de buscar benefícios na incerteza, aceitar que um pouco de estresse torna as organizações melhores, mais aptas.

Portanto as organizações precisam construir essa competência que minimiza o impacto em períodos de escassez, ao mesmo tempo que traz benefícios superiores em períodos de prosperidade.

Fragilidade, nesse contexto, são todos os excessos de uma operação.

São os desperdícios que não geram valor, como:

O desenvolvimento da competência para estar preparado para as incertezas exige que se tenha:

  • Consciência do contexto;
  • Senso de urgência;
  • Foco em metas e resultados;
  • Disposição para arrumar a casa (agir);
  • Organização na cadência das atividades;
  • Persistência em fazer dar certo;
  • Introdução a meritocracia;

Avalie quanta robustez sua empresa tem hoje, respondendo as questões abaixo

O que você faria se suas receitas caíssem 15% em um mês?

E se os fornecedores pressionassem por aumentos nos custos?

E se os clientes pressionassem por redução nos preços?

O que você faria se pudesse controlar somente o que a organização gasta para produzir seus produtos ou serviços (custos e despesas)?

Que ações você faria?

Queremos participar da construção de organizações Antifrágeis.

Mais aptas, flexíveis, racionais e ajustadas aos desafios da competição.

Artigo escrito pelos consultores da Otimiza Consultoria: Evandro Gargioni, Francis Soso, Janaína Sodré e Rafael Bettiol.

Fonte:

Livro Antifrágil: coisas que se beneficiam com o caos por Nassim Nicholas Taleb

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*